Um panorama da Prevenção de Perdas no varejo brasileiro

por Luiz F. Sambugaro 27-09-2018 13:17
Entre em contato:

 adriano sambugaro abrappe gunnebo prevenção de perdas no brasil

No dia 19 de setembro de 2018, realizou-se em São Paulo, uma importante iniciativa, o I Fórum de Prevenção de Perdas da ABRAPPE - encontro que marcou também a criação da instituição - Associação Brasileira de Prevenção de Perdas. O evento contou o patrocínio da Gunnebo, que segue apoiando eventos em prol da Prevenção de Perdas como sempre aconteceu, desde a criação do primeiro grupo de Prevenção de Perdas, vinculado à FIA/USP. Projeto este com o claro objetivo de promover, informar, qualificar e valorizar os profissionais da área de Prevenção de Perdas, pois desses profissionais dependiam, dependem e dependerão o sucesso na gestão e boa utilização dos recursos técnicos, que contribuem para a melhoria da lucratividade, no varejo.

Em um artigo muito interessante, publicado na Stores, revista da NRF, em 18 de setembro de 2018, o especialista James Mullan (Vice-presidente da GDR USA - Retail Secret Innovation Lab) fala sobre a atuação da área de Prevenção de Perdas em uma organização do varejo. Destaco especialmente esta parte: “Peço aos especialistas em Prevenção de Perdas que colaborem com seus colegas de outras áreas, para ajudá-los a impulsionar os esforços de inovação no varejo. Todas as áreas têm problemas e, acredito que Prevenção de Perdas poderia usar de sua experiência para dar suporte a elas”. Mullan ainda conclui: “Irão valorizá-los por isso."

"Hoje é possível desenvolver situações onde o consumidor tenha uma melhor experiência de compra e, ao mesmo tempo, incrementar a segurança” - James Mullan, vice-presidente da GDR USA - Retail Secret Innovation Lab

É importante verificarmos a evolução dessa atividade, cada vez mais importante na produtividade do varejo.

 

Na década de 90, quando em conversa pessoal com o Professor Claudio Felisoni (FIA/USP/PROVAR), questionamos por que não existia na tão avançada entidade nenhuma informação, pesquisa ou recomendação sobre perdas no varejo, uma vez que os índices eram crescentes, os dados internacionais alarmantes e aqui, apenas “vendiam-se equipamentos”.

Na época, poucas e raras empresas tinham profissionais específicos da área de Prevenção de Perdas, com formação e conhecimento para uma evolução técnica que se avizinhava e já existia no mercado internacional.

Sua resposta foi curta e claríssima: “Não temos tempo, nem recursos e nem ‘gente’ que possa tocar uma importante tarefa quanto essa”. Segui questionando: E se tivermos? Ao que respondeu o Professor Felisoni: “Começaremos amanhã mesmo”.Imediatamente, contatamos aquela que seria a primeira expert a se preocupar com o desenvolvimento desses profissionais,Cecilia Leote, merecidamente homenageada durante o evento de criação da ABRAPPE. 

 

abrappe prevenção de perdas gunnebo

Foto: Cecilia Leote — uma das pioneiras na Prevenção de Perdas no Brasil —; Rubens Bulgarelli e Adriano Sambugaro — diretores da Gunnebo, durante o I Fórum de Prevenção de Perdas da ABRAPPE.

 

A partir daí, surgiram cursos, palestras, encontros, publicações, pesquisas, viagens internacionais voltadas para a área... Nós, da Gunnebo, desde então usamos ferramentas disponíveis na data e atualmente através da comunicação digital, continuamos contribuindo, tecnicamente falando, para evolução dos profissionais de Prevenção de Perdas.

Parabenizo o especialista Carlos Eduardo Santos e todos os demais fundadores da Associação pela coragem e esforço. E alerto para o desafio que será manter, evoluir e gerar a credibilidade necessária para que esses profissionais sejam adequadamente respeitados e valorizados em suas respectivas organizações.

Reforço: a Prevenção de Perdas é uma área estratégica da empresa e, como tal, deve ser conduzida. Corretamente hierarquizada, justamente valorizada e profissionalmente reconhecida.

 

Vocês, profissionais da área de Prevenção de Perdas, podem obter mais informações através de nossos especialistas internos ou parceiros e também em nossas publicações. E mais uma vez, encorajamos que contribuam, de alguma forma, para a evolução da Área de Prevenção de Perdas e, consequentemente, do varejo em geral. 

 

Leiam novamente o 2º parágrafo deste artigo. Faço minha as palavras e recomendações do especialista James Mullan.

 

 

Confira outros artigos sobre Prevenção de Perdas e o mercado brasileiro:

12 fatos que tornam prevenção de perdas uma área estratégica no varejo

5 tecnologias essenciais para combater as perdas no varejo

Pesquisa afirma que 96% dos brasileiros prefere dinheiro vivo

 

 |Download Revista Prevenção de Perdas

Topics: Eventos, O profissional de Prevenção de Perdas, Gunnebo