Tecnologia antifurtos integra projeto da rede Kiabi

por Rui Rodrigues 07/11/2019 15:24
Entre em contato:

Sistemas antifurtos EAS

Prevenir perdas no varejo de moda requer alguns cuidados especiais. Além da segurança e eficiência do sistema antifurtos EAS adotado e que as antenas dispostas nas entradas da loja estejam perfeitamente integradas ao ambiente, é preciso cuidar para que as peças protegidas se mantenham disponíveis para experimentação.  Foi pensando nisso que a varejista francesa de roupas Kiabi, que desembarcou no Brasil em 2018, com duas lojas em São Paulo, buscou um sistema antifurtos que proporcionasse uma boa experiência de compras aos seus clientes, além de manter os produtos em segurança. A varejista encontrou então a Gunnebo, que encabeçou o projeto de prevenção de perdas com a tecnologia EAS, por meio das antenas RF plexi transparente e os desativadores.

Para Khardiata Ndoye, líder de Marketing e Vendas da Kiabi Brasil, o EAS da Gunnebo tem atendido bem as necessidades técnicas das lojas da Kiabi. Apesar de serem lojas de grande porte, a tecnologia tem funcionado com bastante eficácia e tem um bom custo-benefício. Ndoye destaca que é fundamental poder contar com um parceiro com experiência de varejo, que tem uma estrutura sólida para acompanhar a varejista. Para ela o diferencial foi contar com a disponibilidade da Gunnebo para ajustar e adaptar as soluções às tecnologias já utilizadas nas lojas.

“Os índices de perdas no primeiro ano de operação estão dentro dos nossos padrões mundiais. Fizemos a implantação em cada loja e, em particular na primeira, houve um trabalho conjunto com a Gunnebo para adaptar as soluções com a realidade da KIABI até acertar o melhor balanço” - Khardiata Ndoye, líder de Marketing e Vendas da Kiabi Brasil.

Sistemas antifurtos instalados na rede Kiabi

 

Além dos investimentos em tecnologia, a Kiabi também promove treinamentos e busca sensibilizar seus colaboradores com o tema prevenção de perdas. A executiva afirma que é importante que a equipe tenha conhecimento de quais ações pode tomar no dia a dia para otimizá-lo. Já em relação aos furtos internos, Ndoye destaca que trabalham o clima da loja e os valores da empresa, especialmente buscando promover mais conhecimento dos procedimentos porque as perdas podem ser também de natureza administrativa. Cada colaborador é treinado para ter uma visão ampla da loja e de seu setor, sabendo reconhecer movimentos ou atitudes suspeitas.

A marca, que vende cerca de 275 milhões de peças por ano em suas 500 lojas espalhadas em 16 países, pretende chegar a 40 unidades no Brasil em cinco anos. Nas novas lojas que deverão desembarcar nos próximos meses, trazendo criações que são inspiradas nas tendências internacionais, há no projeto de prevenção de perdas, no mínimo, a tecnologia EAS

 

Mais sobre tecnologias antifurtos:

Conheça a antena antifurto com detector de metal

4 lições sobre furtos internos que aprendemos com americanos

Como funcionam os sensores antifurtos nas entradas das lojas?

 

New Call-to-action

Topics: Furtos internos, Sistemas Antifurtos