O orçamento de Prevenção de Perdas como aliado dos varejistas

por Marcelo Tavares 15-09-2015 12:00
Entre em contato:

orcamento-prevencao-perdas

Chegamos em um período do ano no qual muitas empresas de varejo, principalmente aquelas que possuem ferramentas de gestão mais completas, começam a se preocuparem com a elaboração de seu orçamento para o exercício do ano que virá. Macro ferramenta de uma companhia, o orçamento contempla uma grande gama de “divisões orçamentárias” representadas por suas diversas áreas e estruturas (filiais/ diretorias/ gerências/ departamentos/ setores/ seções/ lojas) nas quais está inserida a Prevenção de Perdas.

Primordialmente, o orçamento tem como função fazer uma projeção minuciosa dos ganhos (receitas com vendas, investimentos, etc.) e despesas das companhias (impostos, mão-de-obra, perdas, etc.), permitindo se anteceder a fatos e essencialmente prever desenlaces para futuras possíveis contingências.

O orçamento é também o balizador do tamanho da energia que a área de Prevenção de Perdas deverá demandar nas atividades sob sua responsabilidade.

Dessa maneira, um orçamento que conta com Prevenção de Perdas em sua lista proporciona uma gestão determinada das metas necessárias para o sucesso do negócio, reduzindo significativamente as surpresas e colaborando para as melhores tomadas de decisões.

Existem vários modelos de orçamento (matricial, “forecast”, histórico, OBZ, etc.) cabendo a cada organização adotar aquele que mais se adequar ao modelo de gestão ou negócio. Particularmente sou simpático ao “Orçamento Base Zero” (OBZ), que despreza orçamentos de períodos anteriores, mas que, obviamente, deve obedecer às estratégias e metas necessárias da empresa.

Durante a construção do orçamento de sua área, o gestor de Prevenção de Perdas deve, após a estipulação e aprovação das metas de índices (por loja, por seção, por categoria, por item, etc.), prever e alocar os investimentos (CFTV, Softwares de Controle de Registro nos PDVs, Proteção Eletrônica de Mercadorias, Alarmes, etc.) e despesas (mão-de-obra, materiais de expediente, combustível, comunicação, etc.) necessárias para atingir esses objetivos. É o momento de se determinar o custo total da Prevenção de Perdas, o que permitirá que os planos sejam executados, os objetivos atingidos e os controles exercidos.

Dediquem-se a essa ferramenta! Ela possibilita conter despesas, reduzir custos, melhorar controles e atingir melhores resultados.

Sucesso a todos !!!

 

TUBCamera solução CFTV para grandes espaços

Topics: Perdas no Varejo, O profissional de Prevenção de Perdas