É possível ter um self checkout seguro?

por Marcos Passarella 12-06-2018 14:56
Entre em contato:

como ter um self checkout seguro gatecash

Um dos sonhos dos varejistas é não precisar mais lidar com os inconvenientes da fila em seu estabelecimento. Transações mais ágeis e uma experiência de compra diferenciada são algumas das vantagens oferecidas pelos caixa de autoatendimento. Mas será que o self checkout é uma solução segura? Como aproveitar ao máximo esta tecnologia sem sofrer mais perdas? Como evitar as possíveis fraudes geradas pelo autoatendimento nas lojas?

O self checkout, ou caixa de autoatendimento, é uma tecnologia que possibilita ao próprio cliente registrar e pagar suas compras. Já muito utilizado nos Estados Unidos e Europa, a tecnologia começa a evoluir no Brasil, criando uma nova era no relacionamento do varejo com o consumidor, fazendo com que ele se torne protagonista do processo de compra.

As máquinas que já estão disponíveis no mercado para executar esse tipo de tarefa podem diminuir o tempo em compras rápidas e eliminar as perdas por abandono de mercadorias por conta de filas. A maior agilidade e a não dependência do operador podem se tornar um diferencial para o estabelecimento.

De acordo com Flávio Montezuma, vice-presidente da OKI BRASIL, entre as principais vantagens do self checkout para o consumidor estão a comodidade e rapidez na compra e a prevenção de filas nas lojas. Estima-se que a redução de tempo pode chegar a até 30%.

 

Mas como ter um autoatendimento seguro?

É importante que o empreendedor não se descuide da segurança, mantendo a vigilância por meio das câmeras de segurança – que, inclusive, estão integradas a alguns equipamentos, como o GATECASH®, da Gunnebo, oferecido ao mercado em uma oferta conjunta com a OKI.

Como funciona a proteção contra fraudes no self checkout?

O Gatecash foi adotado pela OKI Brasil para garantir maior controle e segurança na operação de seu sistema de autoatendimento. Trata-se de uma ferramenta de gestão para o varejo que analisa e faz uma auditoria dos processos de vendas com principal objetivo de inibir e minimizar as perdas no checkout. Usando um avançado algoritmo, o Gatecash cruza movimentos com os dados registrados, monitorando as atividades no PDV para prevenir e reduzir fraudes, tornando cada vez mais fácil e acessível acompanhar o atendimento nos caixas.

“O diferencial nesse trabalho é a questão da segurança não intrusiva e a prevenção de perdas nesse canal. Para o varejista, além da melhora no atendimento ao cliente e a prevenção de filas, a primeira vantagem tangível é o custo operacional, inferior ao que seria necessário para prover atendimento 24x7x365, ainda mais quando consideramos o custo de espaço no ambiente de loja, operadores, mobiliário, equipamentos de PDV convencional, etc”, diz Montezuma.

 

>> Acesse outros artigos sobre tecnologias e estratégias do varejo

na nova edição da Revista Prevenção de Perdas. Clique aqui! << 

 

O uso do self checkout é mais disseminado em países onde o equipamento já está incorporado aos hábitos dos consumidores, como nos Estados Unidos. Lá, cerca de 41% dos entrevistados já dizem usar o equipamento, contra apenas 17% na América Latina. Uma pesquisa conduzida pela Cisco Costumer Experience Report mostrou que o índice de brasileiros interessados na tecnologia está acima da média mundial: 65% têm interesse na tecnologia contra 52% no resto do mundo.

 

 

revistapp-2018-peq Veja mais artigos como este na Revista Prevenção de Perdas 2018. Aproveite para conferir dicas de especialistas e conhecer as últimas novidades do varejo. Clique aqui e acesse gratuitamente a versão digital da Revista.

 

EBOOK GRATUITO Perdas na Frente de Caixa

Topics: Frente de Caixa