Como reverter as perdas causadas pelo estoque indisponível para vendas

por Gabriele Feitosa 31-03-2016 11:00
Entre em contato:

perdas-estoque-indisponivel.png

É sabido que o índice de perdas de uma empresa é composto pelos resultados de inventários e pela indisponibilidade de venda (produtos vencidos, avariados, recall etc.). Todo estoque tem uma linha para produtos comercializáveis, que compõe a gama de produtos que pode ser vendida, e uma para não-comercializáveis, que é conhecida como estoque indisponível. A impossibilidade de venda, afeta diretamente os resultados dos varejistas. É preciso estar atento a este problema para seguir obtendo bons resultados, ainda mais em períodos de crise.

O estoque indisponível é composto por:

 

  • Recall ou desvio de qualidade: são indisponíveis recuperáveis, visto que a Legislação garante o ressarcimento destas mercadorias, além da obrigatoriedade do fabricante (e também do distribuidor) de recolhê-las do mercado;

  • Produtos avariados após o recebimento: constituem, em 90% dos casos, uma perda efetiva, pois não há obrigatoriedade ou negociação que contemple trocar itens que avariam e não estão sob gestão do fabricante. São as quebras que geralmente resultam de problemas de armazenamento ou transporte;

  • Produtos vencidos: são produtos que fizeram parte do ciclo de oportunidade de venda, mas, por motivos diversos, tiveram suas validades expiradas nos Centros de Distribuição e lojas. Estes produtos impactam devastadoramente nos resultados porque, além de o varejista perder o investimento, ele perde também a chance de vendê-lo. Também afeta o espaço em estoque, trazendo gastos com logística reversa.

 

No varejo farmacêutico, cerca de 80% do estoque indisponível é composto de mercadorias vencidas ou a vencer; os outros 20% são avarias e isolamentos de recall. E a alternativa mais viável é alinhar junto aos fornecedores políticas de devolução que garantam ressarcimento ou troca da mercadoria em caso de não escoamento (vencidos) ou de estoque em excesso. É uma prática comum nesta área do varejo e que faz parte da política do ganha-ganha.

Para o fornecedor, as políticas de devolução são a garantia da parceria; para o distribuidor, vendas adequadas e, consequentemente, lucro para as duas pontas.

Porém, os produtos que não podem mais ser devolvidos à indústria, mas que venceram em seu estoque, por Lei, se destinados de forma ambientalmente correta, são passíveis de dedutibilidade fiscal. A forma correta para conseguir o reconhecimento destes custos como dedutível é solicitar autorização prévia para a Receita Federal Brasileira que, além de inspecionar fisicamente os produtos indisponíveis para venda, acompanha todo o processo de destinação final.

As políticas de devolução não são um processo simples, nem são a solução final para perdas por vencimento, mas com procedimentos internos bem escritos, estudos de sazonalidades, validação de mix e adequação de compras ao giro real de venda, é possível minimizar os impactos e o resultado final certamente indicará crescimento.

Conhecendo as estratégias para lidar com estoque indisponível é possível reverter as perdas relacionadas a este problema. Pessoas treinadas, processos bem definidos, auditorias constantes, tecnologia em prol do resultado e indicadores eficientes podem transformar todo um empreendimento e prevenir as perdas em diversos momentos. Tenha em mente esta estratégia e melhore seus resultados!

 

Você também pode se interessar por:

21 conselhos de especialista para ajudar a Prevenir Perdas

Como a auditoria operacional pode contribuir para a Prevenção de Perdas

O crescimento do setor farmacêutico: controlando as perdas no estoque

 

TUBCamera solução CFTV para grandes espaços

Topics: Perdas no Varejo, Recebimento de Mercadorias