O consumidor está, ou não, cada vez menos sustentável?

por Melissa Szuster 03-05-2013 15:01

No último dia 25 de abril, o Instituto Akatu lançou a Pesquisa Akatu 2012: Rumo à Sociedade do Bem-Estar. Ela estabelece alguns comparativos sobre o comportamento de consumo entre 2010 e 2012. Vários aspectos analisados apontaram uma mudança negativa em relação ao consumo consciente e hábitos sustentáveis. Um exemplo disso foi o aumento de 37% para 41% de pessoas “indiferentes” em relação ao tema.

Na semana seguinte, no dia 30 de abril, estivemos em um debate com Samyra Crespo, Secretária de Articulação Institucional e Cidadania Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, no qual foi solicitada sua percepção em relação aos dados da pesquisa do Akatu. Então, com um discurso otimista e seguro, a Secretária expressou um ponto de vista interessante, apontando para possíveis interpretações errôneas deste tipo de pesquisa, e que podem dar a falsa impressão de retrocesso no tema.

No entanto, a dúvida fica no ar: o consumidor está ou não mais consciente de seu consumo e práticas sustentáveis? Para tentar responder esta pergunta, devemos fazer uma outra: a classe emergente de consumidores, que passou a ter acesso ao consumo de modo mais intenso nos últimos 2 anos, está recebendo estímulos e informação qualificada suficientes para ter educação sobre o tema?

A resposta é NÃO! Consumo consciente e práticas de sustentabilidade são ações cotidianas e devem ser incorporadas no dia a dia, como higiene e alimentação, por exemplo. Neste aspecto, as empresas e instituições (governamentais ou não) tem um papel fundamental: dar o exemplo!

E este papel, como citou a Secretária Samyra Crespo, deve fazer parte de um projeto de país a ser compartilhado por todos: pelo Governo, com desoneração e estímulo fiscal para práticas sustentáveis; pelas empresas, com transparência e adesão real destas mesmas práticas; e pelo consumidor, com maior consciência dos impactos de seus atos.

Topics: Perdas no Varejo