NRF Sustentável

por Melissa Szuster 22-01-2013 15:10

Mais um ano em NYC, a cidade que nunca dorme, para acompanhar as últimas tendências do varejo, tanto na 102ª NRF, como ao vivo e a cores, em um dos varejos mais dinâmicos do mundo.

O resultado? Uma percepção clara: o tema sustentabilidade, que antes era levantado em palestras específicas e discutido como uma tendência a se considerar, passou a permear quase todas as discussões. Ou seja, deixou de ser tendência e passou a ser realidade. Transparência, responsabilidade socioempresarial, manejo de resíduos e comércio justo, foram citações constantes e apresentadas como estratégia e não mais como tendência.

Claro que as ações apresentadas são ainda pontuais na maior parte dos casos, mas esta mudança sutil de como o assunto foi abordado, deixou nossa equipe entusiasmada.

Na feira, que expõe predominantemente tecnologia para o varejo, ficou claro também como algumas empresas passaram a apresentar sustentabilidade como solução. Exemplo prático e simples, mas eficiente (como as soluções sustentáveis devem realmente ser) foi a impressora de pdv da NCR, que imprime o cupom fiscal frente e verso. O papel que permite esta tecnologia custa 25% mais caro que o papel normal, mas a economia é de cerca de 45% no volume impresso, ou seja, uma economia real de aproximadamente 20% na ponta do lápis.

Simulações de sistemas integrados para gestão de lojas, que incluem a eficiência energética, como a apresentada pela Microsoft, permite controle de sistemas de iluminação e ar-condicionado de acordo com a "usabilidade" da loja. Economia real para o bolso do varejista!

Além do tema permear os grandes players do varejo mundial que se apresentaram nos quatro dias do evento, o último dia trouxe uma surpresa mais do que bem-vinda: um quadro com startups do varejo (online ou offline) mostrando empresários que pensam realmente "fora da caixa", e começaram seus negócios estruturando em sua estratégia valores reais de responsabilidade socioempresarial e sustentabilidade. Deixando o terno e o sapato social de lado (coisa incomum de se ver em um evento do porte da NRF), estes jovens empresários mostraram que mudar é possível, lucrativo e divertido.

Neil Blumenthal, co-fundador da Warby Parker, foi um deles. Esta empresa fundada entre amigos, que segue a contramão de muitas redes, começou online e agora está se estabelecendo em pontos físicos. A proposta? Vender óculos com preço justo. E mais, oferecer óculos doados para pessoas necessitadas ao redor do mundo a cada par vendido. Um case que vale a pena conhecer.

Nas ruas de NYC um pouco de tudo: desde uma Best Buy decadente no seu ponto de venda, com poucos produtos expostos e vendedores desanimados, até redes expandindo prosperamente e estabelecendo seus negócios com DNA sustentável, como a Birdbath Bakery - talvez a operação de varejo mais sustentável da cidade.Saímos de NYC com muita história para contar e muitas lições para por em prática. 2013 promete!

Legenda das Imagens:

1) Cidade de Nova York
2) Foto NCR - Impressora frente e verso
3) Painel de controle simulado Microsoft
4) Loja Birdbath Bakery

Topics: Perdas no Varejo