Foco no Varejo

por Luiz F. Sambugaro 02/10/2012 09:31
Entre em contato:

Acabo de participar de dois encontros voltados para o Varejo, um da ABRAS, (encontro de líderes) e na última quinta feira da ABIESV, com o 3º encontro BACKSTAGE DO VAREJO. Ambos somando aproximadamente, 400 pessoas ligadas á Supermercados e ao varejo de lojas.

Pontos em comum:
1) O crescimento do varejo é maior que o de outros mercados e o Nordeste é considerado
como a “China Brasileira”
2) Apesar de alguns adiamentos nos investimentos, eles seguem de forma positiva.
3) A busca de conhecimento, principalmente nas áreas de Visual Merchandising, arquitetura
de lojas, logística, prevenção de perdas, etc, tem levado varejistas e fornecedores em
número cada vez maior a esses encontros.
4) Outras observações:
a. (KPMG) ”Estamos passando por uma profunda mudança social, que só ocorre uma
vez na história de um país, e que traz consigo oportunidades enormes para as
empresas dos mercados de consumo. Estima-se que 35 milhões de pessoas vão
ascender à classe média brasileira até 2014, somando-se aos 32 milhões que já se
enquadraram a esse grupo social na última década. Esses novos consumidores têm
amplo acesso a crédito barato e gostam especialmente de comprar equipamentos
eletrônicos e outros gadgets.”
b. A expectativa para o crescimento do varejo 2012 está otimista, segundo a Federação
de Dirigentes Lojistas do Estado de São Paulo (FCDLESP). A perspectiva para
este ano, de acordo com o presidente da entidade, Mauricio Stainoff, é de 6% de
crescimento.
c. Segmento farmácias (portal.softpharma.com.brportal.softpharma.com.brhttp:/
/portal.softpharma.com.br/News/ViewItem/setor-farmaceutico-apresenta-crescimento)

As redes de farmácias têm crescido cada vez mais. De
acordo com a consultoria IMS Health, em 2011 o setor
faturou R$ 40 bilhões, crescimento equivalente a 18%. De
acordo com o presidente da Abrafarma, Sérgio Mena
Barreto, esse crescimento é puxado principalmente pelas
grandes redes do setor, como as gigantes criadas por
meio de fusões. As cinco maiores redes têm cerca de 30%do mercado, com receitas de R$ 12 bilhões.

Com a proximidade dos grandes eventos a ocorrerem nos próximos anos, a falta de pessoal
qualificado, o crescimento das classes sociais e, a impunidade campeando, considero que
os índices de perdas crescerão em velocidade maior que o mercado de consumo. Portanto,
modernize sua loja, treine e mantenha sua equipe, previna-se contra as perdas e torne-se mais
competitivo.

Topics: Perdas no Varejo