7 erros perigosos que você pode estar cometendo no varejo

por Gustavo Carrer 14/05/2019 14:24
Entre em contato:

7 erros perigosos para o varejo

A evolução e o crescimento do varejo, como em qualquer outra área, trazem consigo mitos e crenças que podem ser nocivos ao dia a dia. Estas ideias cristalizadas, que não estão de acordo com a realidade, podem se mostrar muito perigosas para o seu negócio e, infelizmente, são bastante comuns. Quando negligenciadas, essas deficiências que abordaremos aqui, prejudicam os resultados e causam verdadeiros prejuízos. Para não correr mais riscos desnecessários, reuni aqui uma lista de 7 erros para você aprender a identificar estes problemas tão sérios para o varejo.

Quais são as falhas mais comuns que encontramos diariamente nas lojas?

 

1- Não colocar preços na vitrine

Quando não exibimos preços na vitrine, é comum ver os clientes desconfiados com a falta de informação e transparência da loja. Com o preço bem divulgado, a loja atrai o público certo e evita esforços desnecessários.

 

2- Não vender pela Internet

Pesquisas mostram que consumidores que utilizam mais de um canal do mesmo varejista, em média compram mais que aqueles que usam apenas um dos canais. A internet é acessível a todos, invista nela.

 

3- Acreditar na lógica da comissão

Ao longo do tempo, os vendedores percebem o limite que alcançam com comissão. Com a estagnação da remuneração, ficam desmotivados e o mal atendimento pode ser uma consequência. Prêmios por bom desempenho são uma solução.

 

4- Não oferecer opções de pagamento

Os clientes sempre buscarão o máximo de conveniência e facilidade na hora de pagar. Por isso, na hora da compra, costumam optar por varejistas que ofereçam o maior número de opções de pagamento para poderem decidir qual delas melhor os atende.

 

5- Criar barreiras para trocas

Engana-se quem pensa que facilitar as trocas incentivaria comportamentos oportunistas. No momento da troca, o varejista tem chances de fidelizar o cliente, criando uma relação de confiança e transparência.

 

6- Não fazer inventários

É por meio de inventários que se torna possível analisar melhor as perdas de uma loa de varejo. Com dados bem apurados, o varejista consegue enxergar onde deve investir e como combater as perdas com maior precisão.

 

7- Não fazer pós-vendas

É no pós-venda que se fideliza um cliente. Quando bem feito, o pós-venda prepara o consumidor para futuras compras, fixa a marca e constrói relacionamentos duradouros.

 

 

Esta lista faz parte do Ebook BlackBook do Varejo, que criei a partir de minhas experiências como consultor. Para acessá-lo, basta clicar neste link.

 

 

 

 

Mais sobre estratégias para prevenção de perdas no varejo:

Como usar o Big Data em favor do varejo?
Antônio Balbino fala sobre inventário no varejo
Como funciona a pesquisa de mercado para o varejo?

 

New call-to-action

Topics: Perdas no Varejo, Experiência do Consumidor, Equipe e Treinamento, O profissional de Prevenção de Perdas, Furtos internos